Geral

Feliz Páscoa

No final de um período de 400 anos de Escravidão; na noite mais escura, quando os ombros hebreus já não suportavam mais os açoites, Deus resolveu dar um basta em tudo isso. E, Ele não fez de maneira serena ou silenciosa. Ele agiu com mão poderosa para com o faraó do Egito.

Para o povo escolhido, o evento deveria ser marcado para sempre; contado de geração em geração.
No décimo dia do mês de Nissan, o pai de família deveria trazer um cordeiro macho de um ano para dentro da sua casa, onde ficaria até o décimo quarto dia, quando seria sacrificado na Páscoa.
O Ritual era simples: Precisavam comer pão sem fermento, ervas amargas, e um cordeiro macho de um ano, que deveria ser assado no fogo completamente. Além disso, o mais importante de tudo: O sangue do mesmo cordeiro deveria ser passado nos umbrais das portas de cada família hebreia, para que Deus, quando passasse, não punisse com a morte os primogênitos.
Deus, ainda, adverte que aquele mês seria, então, o primeiro mês do ano, indicando que a Páscoa marcaria o início de uma nova vida para o seu povo. E assim foi…

Após o horror que os egípcios experimentaram, Faraó estremeceu diante do poder de Deus. Ordena, então, que o povo saísse do Egito imediatamente. Além disso, Deus afirma que o povo sairia dali com ouro e prata, como restituição de toda a exploração de 400 anos que os egípcios impingiram sobre o seu povo.
Para coroar a sua libertação, fez passar o povo pelo Mar Vermelho, cujas águas recuaram, para depois, sepultar os exércitos egípcios sobre o mesmo mar, quando perseguiam o povo hebreu.
Portanto, há milênios o povo hebreu conta essa história de geração em geração, para que os seus descendentes entendam o quão poderoso é o Deus de Israel, e também se lembrem que são o povo da aliança.

Agora, e nós cristãos, será que isso diz respeito a nós?

Certa vez, João Batista viu a Jesus passando e disse a seus discípulos: Eis o Cordeiro que tira o pecado do mundo.

Jesus é o Cordeiro Pascal, e como tal, cumpriu todos os quesitos necessários para que sejamos livres da condenação do pecado.
No décimo dia do mês de Nissan, quando o Cordeiro de 1 ano era trazido para casa da família que iria sacrificá-lo, Jesus entrou em Jerusalém, para ser examinado no Templo até o décimo quarto dia pelos judeus.
No décimo quarto dia, quando o Cordeiro era amarrado às 9hs da manhã pelo sacerdote, Jesus estava sendo crucificado no Gólgota.
A exemplo do livramento experimentado pelos hebreus quando Deus passou e viu o sangue do Cordeiro nos umbrais externos da casa, Deus também livrou da morte a todos os que se apropriam do derramamento do sangue do seu filho na Cruz.
Às 15hs, quando o Cordeiro era sacrificado e queimado no altar do Templo, Jesus estava clamando: Está consumado, sendo consumido pela ira de Deus à exemplo do cordeiro que era consumido pelo fogo, para que nossos pecados fossem perdoados.

Portanto, assim como os hebreus foram libertos da escravidão pela mão poderosa de Deus, semelhantemente, todos os que se apropriam do sacrifício de Jesus são protegidos da condenação do pecado e iniciam uma nova vida.
Além disso, os hebreus tiveram grande restituição de tudo aquilo que tinham sido roubados, e durante a travessia do Mar Vermelho, não houve ninguém fraco ou doente.

No ano de 2015, no calendário hebreu, a Páscoa caiu na sexta-feira. Contudo, não podemos nos esquecer que os seus benefícios são eternos.

Vale a pena destacar alguns dos muitos benefícios que Cristo nos dá:

  1. Salvação da condenação dos pecados, pelo seu sangue derramado na cruz.
  2. Vida nova, revelando que Deus é um Deus de novas oportunidades.
  3. Restituição completa; seja no âmbito espiritual seja no âmbito físico.

Além disso, há muitos outros… Mas, para você que me lê, quero que se lembre de algo muito importante: Só seriam libertos aqueles que, dentro da casa, se apropriassem completamente do Cordeiro, que deveria ser consumido por completo. Jesus já fez a parte dele. Agora é necessário que você se aproprie de tudo pela fé.

Confesse o nome de Jesus! Diga a Ele que você crê em tudo que ele realizou, e aguarde o grande livramento que Deus tem para a sua família! Deus abençoe a Todos!

Feliz Páscoa!

Por Lamartine Posella

Evangelistas do Oriente Médio
A cura da amargura

Deixe seu comentário